Cartão de Visita

Hoje:

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

Atualidade: Após quase um século em que esteve meio esquecido, o cartão de visita voltou a ser usado em nossos dias com a frequência habitual do século XIX e primeira metade do século XX. Porém, penso que este restaurar do cartão de visita deveria ser acompanhado da restauração também da etiqueta própria do seu uso. É óbvio que usar com propriedade o cartão de visita, depende do conhecimento da etiqueta que lhe diz respeito.

O cartão de visita, um pequeno retângulo de cartolina na cor branca ou creme, em que está impresso o nome do dono por extenso, e pelo qual ele se faz anunciar ou deixa uma mensagem, é um meio muito prático para passar seletivamente informações pessoais e profissionais. Nele podem ser impressos o endereço de residência, o endereço comercial para correspondência, a ocupação ou o tipo de negócio, telefone, fax, e-mail, blog, website, nome para o Twitter e o Facebook, etc., informações que são parte da vida moderna.

Tamanho. Atualmente, são feitos basicamente em dois tamanhos universais, sendo o padrão americano, no tamanho 8 x 5 centímetros ou no padrão brasileiro, no tamanho 9 x 5 centímetros pois, diferentemente dos Estados Unidos, o Brasil segue a norma internacional ISO 7810 que especifica os formatos dos cartões de identificação.a partir de uma folha de cartolina codificada como A0, a qual tem um metro quadrado com dimensões quase exatamente de 841 × 1189 mm.

Se dobramos sucessivamente pela metade a folha A0, alternadamente no sentido da largura (dobra horizontal) e depois no sentido da altura (vertical) e prosseguimos até a sétima dobra, chegaremos a um retângulo de 105 × 74 mm que é o tamanho A7, porque foram necessárias 7 dobras consecutivas para produzi-lo (O tamanho A4, utilizado largamente nas copiadoras, resulta da quarta divisão consecutiva do tamanho A0.).

Uma folha A0 divide-se em 128 cartões A7 com o tamanho 105 × 74 mm. Porém, este é o tamanho bruto do cartão, ou seja, o retângulo que ocupa em uma folha de cartolina a ser cortada. As dimensões do cartão terminam por ficar ligeiramente menores que as da folha dobrada, devido às perdas que ocorrem nos cortes, e também por uma redução de tamanho conveniente no caso dos cartões de visita comerciais.

As dimensões do cartão de visita social do homem e da mulher casada (V.p.f.) são de 9,5 cm de comprimento por 5,5 cm de altura, aproximadamente. O da mulher solteira (V.p.f.) e o cartão de visita de negócios (V.p.f.) são um pouco menores, e o cartão de visita do casal (V.p.f.) um pouco maior.

Conteúdo. O cartão de visita pode conter apenas o nome da pessoa, e ela acrescentará o endereço residencial a mão, quando necessário. Mas é mais comum que, além do nome completo do dono, indique seu título ou cargo, e o endereço gravado em letras menores, sem abreviações, no canto inferior esquerdo. Reserva-se o canto direito para o telefone e o endereço de e-mail. Se a pessoa possui um título (doutor, coronel, etc.) no cartão de visita ele é mencionado antes do nome, preferencialmente por extenso. Cargos são colocados sob o nome. O cartão de visita social é sempre gravado em tinta preta, em letras direitas ou em itálico, ou tipo cursivo.

A mensagem enviada em um cartão de visita não é assinada. Quando apresentado ou enviado a um conhecido, o sobrenome impresso deve ser riscado, permanecendo apenas o primeiro nome. Não se assina um cartão de visita. No entanto, o seu dono pode riscar o nome inteiro impresso e assinar seu primeiro nome ao fim da mensagem.

Utilização. O cartão de visita se presta para acompanhar a entrega de, qualquer tipo de doação, flores ou presente ou para agradecer o seu recebimento, inclusive os de casamento, com uma mensagem curta, escrita a mão, ao destinatário.

Servem para responder um convite formulado por escrito, e para agradecer, e encaminhar os comentários, de um livro oferecido pelo autor, etc. Pode substituir o cartão de participação de mudanças de endereço; para enviar condolências, para enviar e agradecer felicitações e cumprimentos Para isto é indispensável ter o envelope, do qual se adquire uma pequena quantidade quando se manda imprimir os cartões. O endereço do destinatário é escrito no envelope.

Os cartões de visita são úteis também, em uma conversa, para passar o nome de um lugar, de uma entidade, indicar um restaurante, escrever um endereço, recomendar um filme, ou deixar um recado no escaninho de correspondência do hotel com uma mensagem, se o hóspede que pretendia encontrar estiver ausente

Nas casas particulares já não se anuncia a presença através de cartões. Só se apresentam cartões em visitas de caráter comercial ou de negócios, e o cartão é também o cartão de visita de negócios.

Cartão de visita social do casal. O cartão de visita do casal é um pouco mais complexo por apresentar duas pessoas e, eventualmente, também seus títulos.

Os nomes podem ser seguidos por um título ou grau (Senhor ou Senhora será escrito com todas as letras). Exemplo: Professor e Sra. Paolo Berggero, Mas os nomes podem mudar de posição, se a mulher tem um título e o marido não: A General Marcela Sophia Berggero e o Sr. Paolo Berggero, por exemplo.

O cartão de visita do casal traz as mesmas informações de endereço e contacto que o cartão do homem, e com a mesma disposição espacial.

Cartão de visita social: dobra. O cartão com o canto superior esquerdo dobrado foi um modo de indicar que o próprio dono o deixou com o criado ou o enviou por meio de algum serviço; se o cartão fosse entregue pessoalmente ao destinatário, não precisaria dessa dobra Era, portanto uma espécie de autenticação. Cada canto tinha um significado e a dobra situava-se conforme a finalidade da visita (congratulações, condolências, etc.). O segmento dobrado era de no máximo um centímetro, em ângulo menor de 45 graus em relação à borda lateral. A dobra era feita para trás do cartão.

O costume de dobrar um dos cantos superiores do cartão praticamente desapareceu. Porém ainda é vista no o uso do cartão comercial (V.p.f. abaixo), pois o negociante não quer deixar escapar nenhum sinal da sua deferência para com um cliente em potencial, e assume que a pequena dobra é indispensável indicação de respeito e simpatia.

Cartão de visita da mulher. O cartão da mulher casada deve ter as dimensões aproximadas de 5,7 x 9,5 cm., iguais às do cartão do homem. Leva apenas seu nome como senhora (Por exemplo: Senhora Sérgio Fameratto)., e não estampa seu endereço. Porém, em seu cartão profissional (V.p.f.), a mulher menciona seu nome e não o de seu marido (Por exemplo, Doutora Liccia Fameratto).

A mulher divorciada diz em seu cartão social “Senhora” seguido do nome adotado, por inteiro.

O cartão de visita de uma viúva é semelhante ao de uma mulher casada. Assim como a mulher não se declara casada, solteira ou divorciada em seu cartão, ela também não declara sua viúves e nunca usa “Viúva”, nem antes nem depois do seu nome..Continua a usar no nome do marido falecido (Exemplo Sra. Victorio Malletti).

Cartão de visita dos solteiros. O cartão da mulher solteira, assim como o do homem solteiro, distingue-se por ter dimensões um pouco menores, em torno de 8 a 8,5 cm x 4 a 5 cm. Como não são Senhor ou Senhora, por não serem casados, divorciados ou viúvos, exibem apenas o primeiro e último nome: (Exemplo: Andréia Fameratto).
Namoro. O cartão de visita pode ser o instrumento que facilitará a aproximação entre o homem e uma mulher. Quando, em um evento social, o homem deseja iniciar uma amizade com uma mulher, poderá usar seu cartão de visita, mas não deve adiantar-se a entregá-lo antes de uma conversa que deixe claro seu interesse. Então poderá simplesmente pedir o seu telefone, ou usar seu cartão como estratégia para obtê-lo. Ela poderá, depois de receber o seu, informar o seu endereço de e-mail ou talvez seu telefone. Por uma questão de segurança, a mulher em geral teme passar o telefone a um estranho, e se sente mais protegida e menos comprometida passando a um pretendente apenas o seu e-mail.

Não se espera que uma mulher convide o homem que ela pouco conhece para um encontro, por isso entregar-lhe o cartão e pedir que ela lhe telefone será um passo errado para o homem. Mas ele, além de provavelmente. Mas se ela não faz nenhum movimento no sentido de encontrá-lo, passando-lhe seu cartão ele estará facilitando a ela visitar seu blog ou seu perfil ou página no Facebook e assim conhecê-lo melhor antes de aceitar o convite para um encontro quando ele convidá-la.

É norma de Boas Maneiras que o homem peça a mulher para se encontrarem e não ela convida-lo. É mais tolerável para o homem receber uma recusa que para uma mulher. Outra vantagem de ela ter o cartão do homem é que, se ela aceita um convite para um jantar, por exemplo, e algo de ultima hora a impede de ir, ela terá o telefone para avisa-lo

Cartão de visita profissional. O cartão para uso profissional inclui, naturalmente, o cargo ou a profissão. É o cartão de médicos, dentistas, psicólogos, advogados, etc. O cartão de visita profissional é diferente do social nos dizeres; segue as disposições do cartão de visita, tem as mesmas dimensões que aquele, 9,5 x 5,5 cm, por padrão.mas não contem o endereço residencial e sim o endereço onde seu portador exerce sua profissão.

Cartão de visita de negócios. Cartões que apresentam a pessoa como proprietária ou interessada em um negócio ou comércio. O cartão de visita pode nada indicar e o cartão profissional ser menos informativo a esse respeito que o cartão comercial. Em um cartão de visita comercial ou de negócio é registrado o nome da empresa (ou associação …) na parte superior esquerda ou centro do mapa na parte superior; O nome do comerciante ou agente de negócios na linha mediana, e o endereço, telefone, fax e seu e-mail. de trabalho no canto inferior esquerdo e telefone comercial, e-mail e site no canto inferior direito.

Suas dimensões são de 5×9 cm como padrão, portanto um pouco menores que a do cartão de visita social.
Usar um cartão de visita comercial em um evento social de maior importância é considerado falta de polidez, pois este não contem o endereço pessoal do portador Tais situações privilegiam o cartão de visita social. Me parece então que uma boa solução para quem não quer perder a oportunidade de despertar interesse para o seu negócio é ter também um cartão comercial e passa-lo discretamente à pessoa em quem vê um possível cliente para informação do seu produto e do seu endereço comercial.

Cada vez mais comum, mapa bilíngue, cada lado está sendo dedicado a uma das duas línguas utilizadas na prática profissional do titular do cartão: diplomatas, representantes das principais instituições e empresas internacionais …

Em uma visita de negócios, se a pessoa não for recebida o seu cartão será devolvido a secretária pela pessoa procurada, com a incumbência de arquivá-lo para contacto em outra ocasião. É grosseria recusar ou devolver um cartão de visita ou de convite.

Cartão de visita: troca. Trocamos cartões quando desejamos reencontrar as pessoas depois de uma apresentação. A mulher não troca cartões com um casal nem, com um homem. Só troca o seu cartão com outra mulher. Mas os casais trocam cartões entre si. Da mesma forma os homens trocam cartões entre si, mas jamais com uma mulher.

Cartoneira. Carteira para cartões, bastante útil principalmente em eventos onde um convidado poderá encontrar muitas pessoas com quem deseje manter contacto futuro. As antigas eram caixinhas achatadas de prata (fig. ), gravadas com adornos ou armas de família. Modernamente a cartoneira é uma carteira de couro multifuncional para cartões magnético bancários, cartões de visita, social, profissional e de negócios, e dinheiro em notas. Quando muito recheada, adquire aparência grosseira. Convém portanto ter uma cartoneira distinta da carteira para dinheiro e cartões magnéticos.

Rubem Queiroz Cobra

Página lançada em 01-03-2014.

Direitos reservados.
Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. – Cartão de visita. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2014