Higiene: Ácaros

Hoje:

Página escrita por Rubem Queiroz Cobra
Site original: www.cobra.pages.nom.br

Quatro espécies de insetos estão incluídas entre os parasitas externos mais comuns do homem: os ácaros, os percevejos, os piolhos e as pulgas. Há várias outras pragas que invadem as casas, mas não atacam o corpo humano para se alimentarem(por exemplo, baratas, formigas, aranhas, moscas, etc). As infestações de casas e pessoas por qualquer desses insetos nocivos, ou por todos eles ao mesmo tempo, relacionam-se à falta de higiene pessoal e ambiental doméstica.

Ácaros. Esses minúsculos artrópodes, os ácaros comuns, têm sido, recentemente, objeto de muitas referencias nos meios de informação, principalmente em relação a doenças alérgicas. Seu papel no desencadeamento de reações asmáticas através da poeira tem sido muito difundido. São invisíveis à vista desarmada, devido ao seu tamanho quase microscópico.

Alimentam-se de farelos de comida que caem nos cantos e gretas do assoalho e dos rodapés, e de células da epiderme humana retidas nas cobertas das camas, nos sofás e poltronas, nos carpetes e tapetes, tatames, em brinquedos como ursinhos de pelúcia, e também de fungos que se desenvolvem no interior das residências.

Os ácaros não são diretamente responsáveis por qualquer doença, porém suas fezes integram a poeira e causam alergias respiratórias, ou aqueles que picam a pele, provocando inflamações que podem ter graves consequências. Algumas pessoas são particularmente afetadas pela poeira que contem os micro excrementos de ácaros, e em conseqü

uência sofrem de surtos de asma e rinite crônica, entre outros males.

Os ácaros são combatidos eliminando-se a poeira do piso, dos móveis, dos tecidos e tapetes, e o mofo em paredes e armários .combatendo-se na pele e nos cabelos quando for o caso (V.p.f. Escabiose). Existem vários produtos antiácaros, inclusive capas especiais para colchões e travesseiros e almofadas. Passar pano úmido no assoalho pode ser uma boa medida, porque não levanta poeira e permite adicionar ao líquido umidificante produtos acaricidas.

Escabiose. Parasitose da pele causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei. (V.p.f. Escabiose, na página Dermatoses).

Ácaro hematófago. Conhecido como ácaro vermelho, pichilinga, ou ácaro das galinhas, o ácaro hematófago (que se alimenta de sangue), parasita galinhas, pardais, coelhos, camundongos, e ocasionalmente é um perigoso parasita do homem. Evitá-lo requer medidas de cautela como criar as galinhas em galinheiros limpos, espantar pombos e pardais, e eliminar os seus ninhos nos beirais dos telhados das casas e nas galerias de passagens de ar de um edifício.

O ciclo biológico dos ácaros hematófagos tem duração de 79 dias, e passa pelos estágios de embrião nos ovos, larva, ninfa e adulto

Alimentam-se melhor à noite ou em ambientes escuros. Após a alimentação abandonam o hospedeiro e formam colônias em materiais que lhes servem de abrigo, como frestas entre tábuas e caibros nos telhados das casas e galinheiros. Estes abrigos podem ficar relativamente distantes e muitas vezes são vistos em coluna, como minúsculas formiguinhas amarelas, subindo pela parede de um cômodo, transitando do abrigo no chão, para o local onde se encontram suas vítimas. O acasalamento desta espécie de ácaro pode ocorrer no hospedeiro ou fora dele, porém a postura dos ovos é feita fora do hospedeiro.

Casos humanos de dermatites pruriginosas produzidas por mordidas do ácaro hematófago parecem ocorrer no início do verão, relacionados ao aumento da população de pardais. Nas pessoas atacadas pode-se observar, em diversas partes da pele, localizadas no tórax e nos braços, a presença de pápulas avermelhadas com aproximadamente cinco milímetros de diâmetro, com um pequeno halo hemorrágico no centro. O sintoma predominante é o prurido intenso e, algumas vezes, insuportável, especialmente em crianças. O alívio é dado com anti-histamínicos e esteroides administrados topicamente. Após o início do tratamento o prurido reduz-se apreciavelmente e as lesões começam a empalidecer, desaparecendo em três a cinco dias.

Segundo Lucas Maciel Cunha, da Universidade Federal e Minas Gerais ( em www.bibliotecadigital.ufmg.br/), experimentos demonstraram quo ácaro hematófago é capaz de se infectar com o vírus da Encefalite após se alimentar com sangue de galinhas infectadas por esse vírus e realizar a transmissão trans-ovariana para sua progênese além de infectar galinhas até então não infectadas.

De acordo com o mesmo autor, verificou-se ainda que o mosquito Aedes aegypti transmitia o agente causador da Encefalite de Saint Louis 4 a 27 dias após picar galinhas com o vírus da encefalite transmitido pelo ácaro.

Os inseticidas de uso doméstico são o bastante para matá-los. Porém, de um modo geral, a remoção dos ninhos das aves e o tratamento de limpeza do ambiente são suficientes para eliminar a praga.

Rubem Queiroz Cobra

OBS: Para mais informações, aconselho o leitor a procurar na Internet um Site de clínica médica universitária, ou de uma faculdade de medicina, cujas páginas sejam assinadas por um médico.

Página lançada em 00-00-2000.

Direitos reservados.
Para citar este texto: Cobra, Rubem Q. – Higiene: ácaros. Site www.cobra.pages.nom.br, INTERNET, Brasília, 2000.